quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Dominação e resistencia na Ásia



Ao longo do século XIX, Inglaterra e Franca estiveram à frente do processo de conquista e colonização do continente africano. Foram seguidas por outras nações. Para diminuir os conflitos entre as nações industrializadas levou as grandes potências a se reunirem em 1884-1885, na Conferência de Berlim para dividir o continente africano entre elas. Apesar das nações européias terem se mostrado satisfeitas com os resultados da conferência, emergiram alguns conflitos entre elas, destacando-se a Guerra dos Bôeres (1899-1902). Desde o século XVII, a região sul-africana era ocupada pelos Holandeses. No congresso de Viena (1815) a região do Cabo da Boa Esperança (Colônia do Cabo) passou para os ingleses, o que obrigou os holandeses, chamados de bôeres ou africânderes a se retirarem para o norte, onde fundaram as colônicas de Orange e Transvaal. A descoberta de ouro e diamantes nesses regiões levou os ingleses a disputarem com os holandeses o domínio sobre todo o sul do continente. Em 1895, a Inglaterra enviou tropas ao Transvaal, em apoio a uma revolta de estrangeiros que protestavam contra os altos impostos que tinham de pagar aos holandeses. Em 1899, foi a vex dos holandeses revidarem, atacando territórios ingleses nas colônias do Cabo e Natal. No final do conflito, a Inglaterra saiu vitoriosa e toda a região foi transformada na União Sul-Africana (1910). Também a questão de Suez provocou dessentendimentos entre os europeus. Visando encurtar as distâncias marítimas entre a Europa e a Ásia, teve inicio a contrução do Canal de Suez, que ligaria os mares Vermelho e Mediterrâneo. Graças ao entusiamos do engenheiro e ao apoio do imperador Francês Napoleão III, a obra foi realizada (1859-1860), ficando sob o controle da França e do Egito. Em 1875, porém, a coroa inglesa comprou a parte egípcia da empresa exploradora do canal. Tal situação gerou desentendimentos solucionados apenas em 1904. Entretanto, também os alemães desejavam conquistar o Marrocos e, por isso, opuseram-se às pretensões francesas. Daí surgiu um conflito conhecido como Questão Marroquina (1904) que, posteriormete seria um dos elementos detonadores da Primeira Guerra Mundial.



Resumo de Ranniê.

Nenhum comentário: